DestaquesEnsinamentosParóquia

O que é Paróquia, Pároco, Vigário Paroquial, Diácono e Irmão?

A Paróquia: (Cân. 515) é uma comunidade de fiéis, constituída de uma maneira estável na Igreja particular e seu cuidado pastoral é confiado ao Pároco, como o seu pastor próprio, sob a autoridade do Bispo Diocesano.

É o lugar onde os fiéis são congregados pela celebração dominical da Eucaristia. A Paróquia inicia o povo cristão na expressão ordinária da vida litúrgica, reúne- se nessa celebração, ensina a doutrina salvífica de Cristo, a prática da caridade do Senhor, as obras boas e fraternidade.

“Não poder rezar em casa como na Igreja, onde se encontra o povo reunido, onde o jeito é lançado de um só coração. Há ali algo mais, a união dos exércitos, a harmonia das almas, o vínculo da caridade, as orações dos presbíteros” (S. João Crisóstomo).

O pároco: (Cân. 519) é o pastor próprio da paróquia a ele confiada; exerce o cuidado pastoral da comunidade que lhe foi entregue, sob a autoridade do Bispo diocesano, em cujo ministério de Cristo é chamado a participar, a fim de exercer em favor dessa comunidade o múnus de ensinar, santificar e governar com a coordenação também de outros presbíteros ou diáconos e com a colaboração dos fiéis leigos, de acordo com o direito”.

O vigário paroquial: (Cân. 545) “Para o adequado cuidado pastoral da paróquia, sempre que for necessário ou oportuno, pode-se dar ao pároco um ou mais vigários paroquiais que, como cooperadores do pároco e participantes da sua solicitude, prestam sua ajuda no ministério pastoral, de comum acordo e trabalho como pároco”. O vigário paroquial pode ser constituído por dar sua ajuda no exercício de todo o ministério pastoral, tanto na paróquia inteira como numa determinada parte dela, ou para determinado grupo de fiéis.

O diácono: (Vat. II 73-74) No grau inferior da hierarquia, encontram-se os diáconos. São-lhe impostas as mãos não para o sacerdócio, mas para o serviço. Os diáconos participam de modo especial na missão e na graça de Cristo. São marcados pelo sacramento da Ordem com um sinal (caráter) que ninguém poderá apagar e que os configura a Cristo que se fez “diácono”, isto é, servidor de todos. Cabe aos diáconos, entre outros serviços, assistir ao Bispo e aos Presbíteros na celebração dos divinos mistérios, sobretudo a Eucaristia, distribuírem a Comunhão, assistir ao Matrimônio e a abençoá-lo, proclamar e pregá-lo, presidir os funerais e consagrar-se aos diversos serviços da caridade.

O irmão consagrado: (Cân. 573) “Aquele que professa os conselhos evangélicos e tem uma forma estável de viver, seguindo mais de perto a Cristo sob a ação do Espírito Santo, consagram-se totalmente a Deus sumamente amado, para assim, dedicados por título novo especial à sua honra, à construção da Igreja e à Salvação do mundo”.

 

VII – Dos Dias de Festa

Cân. 1246 Símbolo dois SS) 1. O domingo, dia em que por tradição apostólica se celebra o mistério pascal, deve ser guardado em toda a Igreja como o dia de festa por excelência. Devem ser guardados igualmente o dia do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, da Epifania, da Ascensão e do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, de Santa Maria, Mãe de Deus, da sua Imaculada Conceição Aparecida e Assunção, de São José, dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, e, por fim, de Todos os Santos.

Símbolo 2. Todavia, a Conferência dos Bispos, com a prévia aprovação da Sé Apostólica, pode abolir alguns dias de festa de preceito ou transferi-los para o domingo.

Cân. 1247 No domingo e nos outros dias de festa de preceito, os fiéis têm a obrigação de participar da missa; além disso, devem abster-se das atividades e negócios que impeçam o culto a ser prestados a Deus, a alegria própria do dia do Senhor e o devido descanso da mente e do Corpo.

Cân. 1248 símbolo 1. Satisfaz ao preceito de participar da missa quem assiste à missa em qualquer lugar onde é celebrada em rito católico, no próprio dia de festa ou na tarde do dia anterior.

Símbolo 2. Por falta de ministro sagrado ou por outra grave causa, se a participação na celebração eucarística se tornar impossível, recomenda-se vivamente que o fiéis participem da liturgia da Palavra, se houver, na igreja paroquial ou em outro lugar sagrado, celebrada de acordo com as prescrições do Bispo diocesano; ou então se dediquem a oração por tempo conveniente, pessoalmente ou em família, ou em grupos de família de acordo com a oportunidade.

 

VIII – Documentos necessários para marcar o Batismo

– Certidão de nascimento da criança;

– Certidão de adoção ou guarda quando a criança for adotada;

– Comprovante do curso pais e padrinhos;

– Certidão de Casamento religioso dos Padrinhos.

– Identidade pais e padrinhos.

– Taxa:

– OBS: Crianças maiores de 7 anos deverão ser encaminhadas à catequese e somente no ano em que for fazer a 1ª Eucaristia serão batizadas.

IX – Documentos necessários para o Casamento Religioso

  1. Entrada

Os documentos exigidos pela secretaria da Paróquia deverão ser entregues em horário comercial. Somente as secretárias serão responsáveis pela recepção dos mesmos.

Os documentos são os seguintes:

  • Certidão de batismo para fins matrimoniais. (Os noivos obterão esta certidão nas paróquias onde foram batizados e sua validade é de seis meses).
  • Comprovante do curso de noivos (validade 01 ano)
  • Protocolo do casamento civil (sem efeito religioso)
  • Xérox: Identidade (noivos e testemunhas), Comprovante de residência (noivos e testemunhas).
  1. Entrevista
  • Depois que forem entregues todos os documentos, marcaremos as entrevistas com os noivos, necessário a presença dos dois. As entrevistas ocorrem nos dias de semana neste dia é marcado o dia e data e o local do casamento.
  1. Prazos

Os prazos de entrada na documentação dever ser:

  • Processo Civil: dar entrada no cartório com três meses de antecedência do casamento religioso.
  • Processo Religioso: levar os documentos exigidos à Igreja mais próxima da residência da noiva ou do noivo, para a organização do processo, três meses antes da realização do casamento.
  1. Taxa : ver na secretaria

 

X – Documentos necessários para o Casamento Comunitário

  1. Entrada

Está inscrito no Caso Especial participar do encontrão do Caso Especial e recebera formação semestral dos casais do Caso Especial e apresentar as documentações exigidas pela secretaria da Paróquia que deverão ser entregues em horário comercial. Somente a secretaria será responsável pela recepção dos mesmos.

Os documentos são os seguintes:

  • Certidão de batismo para fins matrimoniais. (Os noivos obterão esta certidão nas paróquias onde foram batizados e sua validade é de seis meses).
  • Comprovante de membro em formação do Caso Especial
  • Protocolo do casamento civil (sem efeito religioso)
  • Xérox: Identidade (noivos e testemunhas), Comprovante de residência (noivos e testemunhas).
  • A testemunha deve ser casada na Igreja, deve trazer o certificado de casamento das testemunhas

 

2.Entrevista

Depois que forem entregues todos os documentos, marcaremos as entrevistas com os noivos, necessário a presença dos dois. As entrevistas ocorrem aos sábados pela manhã neste dia é marcado o dia e data e o local do casamento.

 

3..Prazos

Os prazos de entrada na documentação dever ser:

  • Processo Civil: dar entrada no cartório com dois meses de antecedência do casamento religioso.
  • Processo Religioso: levar os documentos exigidos à Igreja mais próxima da residência da noiva ou do noivo, para a organização do processo, dois meses antes da realização do casamento.

4.Taxa:

Instruções para o casamento na Igreja.

*Os noivos deverão seguir as seguintes instruções:

·       Os Noivos deixarão um Cheque caução de 300 reais em caso de atraso igual ou superior a 15 minutos o valor será cobrado aos noivos.

·       O comentário do casamento é feito pela Pastoral da Família ou pela equipe de liturgia, para isso os noivos receberão um folheto Litúrgico de casamento c/ missa ou sem missa(opcional).

·       Após comentário feito deve ser trazido para o celebrante 01 semana antes.

·       Após o casamento, deverão deixar a Igreja limpa e organizada. Para isto deve deixar o n° do telefone da pessoa responsável pela limpeza na Secretaria.

 

 

XI – As intenções para Missa

Quanto às intenções para Missa

Que serão anunciadas

  1. Aniversários: de casamento e nascimento.
  2. Aniversário de falecimento: o dia que faleceu, sétimo dia, trigésimo dia e ano de falecimento.
  3. Outras intenções como: pelas almas, ação de graças, saúde, santos de devoção, ou outras necessidades. Serão anotadas no verso da folha ou à parte e colocadas na cestinha de intenções.
  4. Depois de ter tomado posse da paróquia, o pároco é obrigado a aplicar a missa pelo o povo que lhe é confiado, todos os domingos e festas de preceito de sua Diocese. Portanto, na Paróquia e Santuário São Jose, a Missa na intenção de todo o povo, será às 07:00h. Nesta Missa já estão incluídas todas as outras intenções.

NB: quanto ao valor das intenções lidas ou colocadas na cestinha é o mesmo. Quando lemos a intenção é somente para que a comunidade saiba do acontecimento e possa partilhar das alegrias ou das dores. A leitura é somente para a comunidade. Deus recebe cada uma das intenções que nós temos e desejamos para cada missa. Para as intenções há a taxa de R$ 5,00 nos sábados e domingos e na semana

Artigos Relacionados

Recomendamos este Artigo

Close
error: Content is protected !!
Close